Depois de 18 anos trabalhando com comunicação de entidades do terceiro setor, o jornalista André Alves decidiu lançar o projeto Conteúdo para ONGs. O objetivo é descomplicar a comunicação digital para organizações não-governamentais, organizações da sociedade civil, associações, fundações, institutos e do terceiro setor. Ou numa sigla mais comum, ONGs.

Viajando por vários estados do Brasil, sobretudo na região Centro-Oeste e Norte, o jornalista André Alves percebeu que muitas das entidades já possuem criatividade, mas nem sempre a informação necessária para melhorar a comunicação. O que falta, quase sempre, é saber onde encontrá-la, como traduzir o linguajar técnico dos programadores e do pessoal de marketing.

A primeira etapa do projeto é o site www.conteudoparaongs.com.br que está online desde o dia 17 de novembro e traz dicas e informações sobre o assunto. Entre os temas abordados estão os programas para entidades sem fins lucrativos mantidos por grandes empresas que oferecem descontos, além de serviços e produtos gratuitos.

Como o próprio nome já indica, a maior parte das entidades que não tem fins lucrativos não possui muitos recursos para investimentos fora da área fim. Por isso a proposta é apresentar ferramentas baratas ou gratuitas de comunicação.

Outro produto do projeto, é o e-book Internet e Terceiro Setor. Disponível para download gratuito no site, o livro digital traz dicas sobre como montar um blog ou um site, onde encontrar os melhores serviços de desenvolvimento de layouts e hospedagem.

Sobre as organizações não-governamentais

De acordo com o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, divulgado em 2012, existem no Brasil mais de 290 mil organizações sem fins lucrativos. Deste total, 72% sequer possui um empregado, baseando-se praticamente no trabalho voluntário.

Essas entidades se concentram na região Sudeste (44,2%), Nordeste (22,9%) e Sul (21,5%). Já as regiões Centro-Oeste (6,5%) e Norte (4,9%) são as menos atuantes. As ONGs são voltadas principalmente à religião, associações patronais e profissionais, desenvolvimento e defesa de direitos, saúde, educação, sexualidade, gênero, pesquisa, assistência social e muitos outros temas.

Pin It on Pinterest

Share This